Rafael Freire Consultor em Carreiras e Negócios em Manaus

Rafael Freire Consultor em Carreira e Negócios em Manaus

Ajudo pessoas a se desenvolverem profissional e financeiramente através das suas principais habilidades e aptidões como opção à falta de emprego por meio de consultoria presencial ou virtual (onde oriento sobre como podem proceder em suas carreiras e negócios profissionais) e de assessoria, onde eu simplesmente “boto a mão na massa”, em ações de comunicação, design e o marketing propriamente dito (clique aqui e saiba como começar a investir em marketing sem gastar com publicidade).

O início

Rafael Freire banda mirim1996

Na apresentação do meu livro digital “16 ideias altamente eficazes para quem está desempregado” eu falo que comecei a trabalhar aos meus 14 anos (clique aqui e entenda porque eu sou a favor do trabalho infantil) e, já naquele tempo, eu conseguia ganhar muitas vezes até mais do que um humilde trabalhador que dá duro durante o mês inteiro para receber um mísero salário mínimo.

Apesar disso, eu era um analfabeto financeiro e, apesar de não viver na pindaíba, eu simplesmente torrava tudo que ganhava com roupas, CDs (sim, eu sou dessa época), festas e todo aquele conjunto de coisas de um adolescente. Felizmente, embora eu não viva naqueles padrões que a sociedade considera como “alto nível”, hoje eu entendo que nem sempre ter mais dinheiro resolve o seu problema.

2002

Entrei para a faculdade Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda, mas, apesar de saber da importância de se ter um (bom)  emprego, eu nunca me vi trabalhando até altas horas da noite (inclusive de madrugada) e finais de semana, como assim descreviam os meus colegas de curso, principalmente os que atuavam na área de Criação das agências de publicidade. Clique aqui e saiba o que eu sugiro que você deve fazer com o seu currículo.

2004

ERCAEu nunca tive a oportunidade de estagiar na minha área de atuação (já que mesmo para ser estagiário, era preciso “ser qualificado”). A experiência que eu tive foi trabalhando de abril a até o início de novembro como guia turístico bilíngue no extinto Espaço de Referência Cultural do Amazonas (ERCAM) e depois no Usina Chaminé, ambos mantidos pela Secretaria de Cultura do Amazonas. Lá eu ajudava na organização e operacionalização dos eventos. Além disso, eu fazia a recepção e apresentação desses espaços para os visitantes , que eram tanto turistas externos como internos. Clique aqui e confira o artigo “a chatice de você fazer o que gosta”.

Foi quando, para minha surpresa, eu tive a carteiraoportunidade de ter o meu primeiro (e único) emprego de carteira assinada. Naquele tempo a internet ainda estava engatinhando e eu sequer lembrava que tinha deixado o meu currículo naquela Organização Não-Governamental. Trabalhei de novembro de 2004 a maio de 2005 como Relações Públicas (na carteira está como “Contatos e Divulgação”) e lá, além de visitar inúmeras instituições no intuito de angariar recursos e parcerias para a obra da instituição, eu desenvolvia releases para a mídia impressa, televisiva e radiofônica, de modo a ganhar espaço de divulgação gratuita nesses veículos (clique aqui e saiba como ser divulgado de graça nos jornais, nas revistas e nas emissoras de rádio e televisão da sua cidade).

2008

voz-e-violaoDesempregado, mas sempre tocando em bares e restaurantes com alguns dos principais artistas da cidade e claro, contando com o apoio dos meus pais, comecei a minha pós-graduação em Gestão Cultural e Eventos. Aquele era o ano da grande crise mundial e eu tinha pressa para fazer dinheiro. Foi quando comecei a me oferecer para oferecer os meus serviços de publicidade, de organizador de eventos e claro, de cantor (afff… eu nunca me atrevi a cantar). Comecei a me oferecer para cantar e, em paralelo a isso, a dar um plus com a minha consultoria e assessoria de publicitário (e agora gestor de eventos).

Deu certo!

Em uma visita que fiz em barzinho, o dono gostou do meu trabalho de músico e aos poucos começou a me pagar para fazer as criações publicitárias para o empreendimento dele (clique aqui e confira algumas dicas de design para quem não é designer). Pronto: em pouco tempo ele já estava me indicando para fazer trabalhos de publicidade para a empresa na qual ele trabalhava. Foi quando o valor dos serviços começaram a ficar muito altos e eu precisava ter um CNPJ – nascia aí a N’Ativa Publicidade e Marketing! Saiba mais sobre essa história no meu curso básico para quem está desempregado clicando aqui ou dê o Play para assistir ao vídeo a seguir:

[VIDEO_PLAYER type = “incorporar” width = “560” height = “315” align = margin_top “center” = “0” margin_bottom = “20”] PGlmcmFtZSB3aWR0aD0iNTYwIiBoZWlnaHQ9IjMxNSIgc3JjPSJodHRwczovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS9lbWJlZC9Ga1hRNzFNTGFSNCIgZnJhbWVib3JkZXI9IjAiIGFsbG93ZnVsbHNjcmVlbj0iIj48L2lmcmFtZT4 =[/ VIDEO_PLAYER]

2013

Eu senti a necessidade de contribuir com pessoas que assim como eu, passa(ra)m pela dificuldade de estarem desempregadas com alguma ebook-enfim-desempregado-capa-3d-pngmensagem, mas não com qualquer mensagem e muito menos com algo autobiográfico que parecesse que eu estivesse me gabando dos meus feitos, mas principalmente de algo prático e que desmistificasse aquela ideia de que para ser empreendedor você precisa de um monte de regras, produtos, equipamentos, funcionários, plano de negócios, etc. Acredite: salvo raríssimas exceções, você não precisa estar nas condições “perfeitas” para começar algo e ganhar o seu dinheiro de forma honesta. Clique aqui e saiba o que fazer para começar a ganhar dinheiro a partir de agora!

Apesar de estar desempregado, eu vi justamente no desemprego (a “obrigatoriedade”de ter que possuir uma carteira de trabalho assinada por alguém) a oportunidade de ajudar outras pessoas com o que eu tinha e sabia fazer e foi por isso, que depois de ajudar inúmeros profissionais e empreendedores desenvolverem os seus projetos em ações de comunicação, design, marketing e vendas que eu escrevi o meu livro digital “Enfim, Desempregado – como trabalhar e enriquecer sem depender de um emprego” (clique aqui e saiba mais). Através dele eu tenho ajudado gente de todo o Brasil (e até mesmo de outros países) a verem o desemprego sob uma novo prisma, uma nova perspectiva, uma nova realidade e várias possibilidades. Se trata de empreendedorismo? Com certeza, mas pretendo também desmistificar a ideia de que para ter o seu próprio negócio você precisa de um monte de pré-requisitos que são tão amplamente difundidos pela grande mídia. Na verdade, o que você precisa é apenas ajudar pessoas!

É fácil? Não!

É simples? Sim!

Conclusão

Se você realmente estuda e se qualifica para atuar no mercado de trabalho e até hoje tem sofrido com a falta de “oportunidade” de alguma empresa, grave as minhas palavras: não foque em emprego, foque em pessoas! Em um emprego, o que você faz é simplesmente ajudar o seu patrão (que é uma pessoa) a ajudar outras pessoas com o seu talento, com as suas habilidades, com o seu talento, com o seu dom e com as suas aptidões. Sendo assim, esqueça aquela ideia de que trabalho é um lugar para o qual você vai se arrastando de segunda a sexta para vender 1/3 do seu dia para alguém… trabalho é algo (e qualquer coisa) que você faz para ajudar pessoas e para isso, você não precisa, necessariamente da “permissão” de uma empresa ou do Governo. Faz sentido?

Se você ainda não sabe bem que área escolher, esse é o primeiro passo: saber quais são as suas habilidades, talentos e aptidões (clique aqui e saiba como escolher a área que interessa a você). O outro passo é deixar de mimimi, abrir a mente, arregaçar as mangas e botar a mão na massa!

Capice? Faça, que acontece!

Confira o que outros clientes têm a dizer sobre o meu trabalho:

Clique aqui e saiba mais sobre os meus serviços empresariais!

add consultoria empresarios

Os 4 posts mais visto até agora